Exclusiva! A top Fernanda Tavares conta como retirou a pele animal de suas campanhas.

Batom natural Batom vegano Cosméticos naturais Cruelty Free Fernanda Tavares PETA Slow Beauty Slow Fashion Top Model

Estamos honradas em trazer essa entrevista exclusiva cheia de amor aqui para o blog da Face It!

Ela é uma das maiores modelos do mundo, sempre defendeu os direitos dos animais e é exemplo de mãe e mulher! Claro que estamos falando de Fernanda Tavares! Na entrevista conversamos sobre consumo de peles, do posicionamento dela com a indústria da moda e de como podemos disseminar o amor e cuidado com os animais. Confira abaixo: 

Oi Fernanda, conta pra gente como é sua relação com os animais. Você lembra a primeira vez que sentiu amor por eles?

     • Quando criança na minha família fomos ensinados a amar e respeitar os animais e a natureza. Mas esse amor só vem com o tempo. Lembro quando vi um clipe do Michael Jackson que mostrava um homem atacando uma foca bebê para confecção de casacos de pele (entre várias outras catástrofes que acontecem em nosso planeta, como o tráfico do marfim, destruição da Amazônia....). Acho que foi por causa desse momento que fui, aos pouquinhos, mudando meu ponto de vista em relação a muitas coisas depois de adulta. 

Quando você teve o insight de que poderia defender os animais por meio da sua imagem?

  • Quando eu tive contato com os primeiros casacos de pele na minha carreira. Fotografei algumas vezes, mas lembro o dia que aquilo me tocou. O stylist disse que não tinha problema, pois existia uma "criação de coelhos para isso", e isso me chocou de tal maneira, que eu decidi na hora que não usaria mais minha imagem para vender um produto que tratava os animais como "coisas".

E como foi o processo de engajamento na causa? Foi acontecendo aos poucos?

  •   Sim. Ao sair de um desfile em NY, vi que o grupo da PETA estava do lado de fora, então fui falar com eles para parabenizá-los pelo trabalho. Imediatamente fui convidada para fazer uma campanha e aceitei na hora! Mas até aí, já fazia algum tempo que me recusava a usar peles nos trabalhos.

Você sofreu preconceito ou críticas do mundo da moda quando se aliou a PETA? Nós sabemos que a indústria de peles é forte, especialmente na Europa. 

  • Em relação a isso sempre fui respeitada na Europa. Mas, minha agência de NY foi a primeira a tentar me mostrar que eu perderia muita coisa fazendo aquilo.... e realmente perdi alguns bons trabalhos, como capa de revistas, campanhas e desfiles na época, mas nunca me arrependi!

Já recusou trabalhos para marcas que são cruéis com os animais? 

  • Eu me recusava a usar as peças que a marca tivesse, mas nunca as "boicotei" por isso. Tinha apenas uma marca muito famosa (que prefiro não citar o nome) que eu preferia nem ir aos castings para os seus desfile ou campanhas, pois sabia que a marca registrada dela era justamente a pele.

Como você acredita que pode fazer a diferença nesse sentido da conscientização de proteção animal? 

  • Como uma pessoa que vive essa verdade e pelo meu histórico de carreira, acredito que temos mais chance de chamar atenção para algum assunto específico, falando de algo que muitas pessoas nunca pararam pra pensar profundamente naquilo. "Como é lindo esse casaco de chinchila!" Sim! Mas você sabe o que é uma chinchila? E você sabe como elas chegaram até aí? Não sabem! Então a gente vai abrindo essa porta para elas terem mais acesso e se conscientizarem, que se você ama um cachorro, não pode querer usar uma raposa, não tem sentido.  

Grande parte da população não está atenta às marcas de cosméticos que realizam testes em animais. Uma atividade completamente desnecessária em pleno século XXI. Você também e preocupa em consumir cosméticos naturais e cruelty-free?

  • Sempre!! Na minha casa tento que tudo que seja consumido seja livre de crueldade, TUDO que eu compro, eu preciso ter a certeza que é natural, ou pelo menos, não testado em animais. Me faz bem saber que eu não financio esta indústria tão cruel e sem noção de amor pelos bichos. 

Para as pessoas que começaram agora a pensar nisso e a ter essa consciência, qual seria o primeiro passo?

  • Qualquer um, pois o importante é dar esse primeiro passo! Eu parei com a pele, depois com a carne, depois com o frango, depois com o couro (ainda uso em algum trabalho se precisar, mas não compro mais nada nesse material! Devagar a gente chega lá... rs) depois os produtos testados em animais....e por aí vai. O importante é DAR o primeiro passo e espalhar a sementinha para todos ao seu redor. 

Deixe um recado para as nossas FACE IT Lovers que, como você, sonham com um mundo cruelty-free

  • Depende da gente e não "deles" (indústria da exploração), portanto, com muito amor e sem violência, vamos continuar essa luta e mostrar a eles, que no final, só o amor vence! ❤️ 

 

Fernanda Tavares

Foto: Gustavo Zylbersztajn


Postagem anterior Postagem seguinte


Deixe um comentário

Shopify secure badge